Determinação e empreendedorismo – ontem e hoje

Já se vai uma década, quando nesta recente transição de séculos, vimos surgir e se manter crescente, a “nova onda” do empreendedorismo.

Para muitos, somente uma palavra de ordem estampada em campanhas publicitárias de escolas de ensino fundamental, em cursos de extensão ou livros de auto ajuda, sob a ordem: “seja um empreendedor de sucesso!”.

Passados dez anos, essa “onda” ganhou novas formas e chegou aos processos seletivos, onde, além da qualificação técnica e acadêmica, atualmente as empresas buscam identificar pessoas capazes de fazer a diferença, as quais se convencionou chamar: intraempreendedores. Mas quais são as principais característica dos empreendedores de sucesso?

Para os leigos, que podem deixar-se guiar pelos modismos, o empreendedorismo pode ser visto como algo ainda novo que deve ser experimentado, vivenciado e depois descartado, como tudo que está na moda, e que influencia de fora para dentro, geralmente de forma superficial.

Já para os mais amadurecidos nesta área, o empreendedorismo ou “a capacidade de realizar”, mover ou modificar aquilo que não aconteceria naturalmente, é percebida como um conjunto de características absolutamente indispensáveis para o sucesso nos negócios e na própria vida pessoal e suas maiores marcas certamente são a determinação e a perseverança.

Fruto de uma decisão forte e capaz de provocar corajosas mudanças, a atitude de empreender algo costuma ser a conseqüência de várias ponderações e reflexões do indivíduo em relação ao seu estágio atual e ao cenário desejado para a sua própria vida, empresa ou a vida das pessoas que o cercam.
Se voltarmos nosso olhar para o passado, veremos que até hoje coexistem com nosso tempo, ações, idéias e empreendimentos que romperam com a barreira do tempo. E por quê?

Observamos também que os responsáveis por estes fatos, idéias ou realizações eram pessoas aparentemente comuns, mas que possuíam algo em comum com os empreendedores de sucesso do nosso tempo: eram qualificados, tinham metas bem definidas, uma imensa vontade de realizar e um alto nível de comprometimento com seus ideais.

Desde Michelangelo e a incomparável Capela Sistina, a Ayrton Senna e seu dom deixado por tantas e tantas pistas. De Thomas Edson e suas muitas e complexas invenções, a Santos Dumont, Albert Einstein e tantos anônimos Silvas dos nossos Sertões.

Como exemplos mais recentes, temos o Ronaldo ou a Daiane dos Santos, que operou por cinco vezes seu joelho e, num “duplo carpado” de repercussão mundial, saltou de sua infância humilde para o estrelato. Os atletas Clodoaldo, Joaquim Cruz ( lembra? ) e o, hoje juiz, mas ontem órfão da FEBEN, Ciro Darlan são alguns dos exemplos de quem saiu do anonimato pelo mérito de ter metas pessoais atingidas.

Não pense que estas pessoas não pensaram, mesmo que por um momento, em desistir. Pensaram sim!!! Mas elas perseveraram. Estavam absolutamente determinadas.

Não há dia, nem noite, chuva ou sol, saúde ou doença, passado ou presente que impeçam de vencer quem busca a própria superação.

Desde Paulo e sua visão primordial do evangelho, até hoje, 2000 anos depois e tantos padres, madres e clérigos numa igreja difundida pelo planeta, da qual já se originaram tantas outras. Nada existe a menos que haja o início.

Nada persiste a menos que a vontade de persistir seja maior que os obstáculos encontrados pelo caminho.
Em minha opinião o maior empreendedor de que se tem notícia foi também o homem mais perseverante e determinado que já se viu.

Sem nenhuma apologia a qualquer religião, falo de Jesus.

Sua fidelidade a seu Pai, nosso Pai, foi e é um exemplo supremo de abdicação e sacrifício em prol de um objetivo: abrir os olhos, fazer acordar a humanidade. Fazê-la superar-se atingindo novos patamares da espiritualidade.

Segui-lo e espelhá-lo é, sem dúvida, buscar a própria excelência. Mas como tudo que é especial e extraordinário, sabemos que é muito difícil fazê-lo.

Se você tem fé e paixão por algo que ainda não realizou, não se sabote. Encare a realidade, trace metas. Seja fiel a seus sentimentos e humilde em suas convicções.

Comece e então persista. Se necessário for, mude a rota, mas nem por isso desista.Todas as vezes que o “seu eu fraco e inseguro” lhe disser para desistir enquanto ainda há tempo, permita que o “seu eu seguro e determinado” que, sem exceção, habita todos nós, também dê sua opinião e lhe faça enxergar outras possibilidades.

Lembre-se de que todo trabalho primoroso exige dedicação suprema, que a busca pela excelência é uma corrida sem linha de chegada e que não é possível percorrê-la sem prazer. Portanto, goste do que você faz, inspire os outros – pelo exemplo – a fazer o mesmo, ainda que sua atividade de hoje, seja somente uma ponte, um caminho para o seu verdadeiro sonho.

Acredito não ser possível empreender um grande sonho e transformá-lo em realidade, sem que haja muita, mas muita determinação. Seja o que for, faça-o bem feito.

Por fim, divido com você uma frase que me acompanha desde os treze anos, da qual desconheço o autor, mas que muito já fez por mim nos meus momentos de dúvida ou mesmo de convicção: “ore como se tudo dependesse de Deus, mas aja como se tudo dependesse de você”.

Que tudo comece do início por uma simples questão de princípios.

Wegand S. MansurFundador do Instituto de Qualificação Profissional & Desenvolvimento Humano Prosperar !! BrasilPalestrante, consultor e coach nas áreas de Liderança, Vendas e Atendimento