Trabalho: meio de Sobrevivência ou meio de Desenvolvimento Pessoal?

Você já deve ter sido abordado com perguntas do tipo: "O que você faz para sobreviver?", "Qual o seu ganha-pão ?" Vale notar que essas perguntas já trazem embutidas uma idéia que provavelmente se tornou uma crença íntima em nosso interior: a crença de que o trabalho é meramente um meio de sobrevivência, um fardo que precisamos carregar para prolongar a nossa existência. Será mesmo?

Esta crença pode influenciar na escolha da profissão de muitos jovens, que motivados apenas pelo medo e insegurança, procuram uma carreira baseada apenas em sua remuneração e ganhos materiais, distanciando-se cada vez mais das verdadeiras metas interiores do seu Ser. Outras pessoas até estão em carreiras que foram escolhidas em um momento de lucidez de sua essência mais pura, porém acabaram por mudar o foco de seu objetivo e vêem o trabalho como um fardo.

Reflita sobre estas perguntas de como você encara seu trabalho: Quão motivado você se sente numa segunda-feira ou no primeiro dia de trabalho após alguns dias de descanso? Você já começa a semana ansioso pela sexta-feira?

Por outro lado, temos a opção de ter ou encarar o nosso trabalho como um meio de evolução em todos os sentidos. Podemos aprender a cada minuto com nosso trabalho, como por exemplo: a relacionarmos melhor com nossos colegas, a superar desafios com maneiras cada vez mais criativas, a conscientizar as pessoas de sua força interior, a agir com mais tranquilidade, a aprender uma forma melhor de ajudar a humanidade etc. Será que vale realmente à pena viver grande parte da nossa vida fazendo ou encarando nosso trabalho como algo que não gostaríamos de estar fazendo? Algo que não nos dá prazer, aprendizagem e autodesenvolvimento?

Antes de já ir mudando de trabalho, tentado a agir por impulso emocional, é sensato descobrir quais são as vantagens e desvantagens que ele lhe proporciona e refletir sobre o que pesa mais. Muitas vezes, o trabalho já oferece ótimas oportunidades de evolução integral e apenas não conseguimos enxergá-lo, pois olhamos apenas para seus defeitos.

Se mesmo assim você não está completamente satisfeito com seu trabalho, ou não conseguiu harmonizá-lo com suas metas e valores interiores, pode ser um momento para refletir se deve continuar investindo nele. De repente é hora de mudar, de buscar algo que lhe dê mais realização pessoal e profissional.

Elaborar um plano de ação com metas para a mudança é algo que poderá ajudá-lo(a) muito. Muito mais importante que o plano é saber quais são seus valores interiores para poder definir suas metas. E depois, procurar algo que esteja realmente congruente com seus pensamentos e sentimentos. A certeza de estar fazendo algo de acordo com seu Ser Essencial e com aquilo que você veio aprender e compartilhar é algo que lhe proporcionará imensa satisfação e motivação.

Lembre-se que as respostas para cada pergunta contida neste artigo só poderá ser respondida por uma pessoa: VOCÊ! PENSE NISTO!

Autor: Saulo Nagamori Fong - Coordenardor do Instituto União é Ser Humano, Educador, Fotógrafo, Coach e Palestrante com abordagem psico-corporal.